Arquimedes no O GLOBO – Bolsonaro bloqueia perfis de desafetos no Twitter; veja quem são

Prática recorrente do perfil do presidente Jair Bolsonaro no Twitter, o bloqueio de perfis opositores é alvo de uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF). Mesmo sendo um perfil verificado e da maior autoridade do país, não se tem acesso à lista de perfis bloqueados, já que a informação não é pública. Diante disso, a Arquimedes mapeou, junto com o GLOBO, contas relevantes de políticos e influenciadores que indicaram terem sido bloqueados nos últimos meses.

O levantamento localizou ao menos 15 perfis com número superior a dez mil seguidores. A lista inclui quatro deputados federais — Alexandre Padilha (PT-SP), Natália Bonavides (PT-RN), Pedro Uczai (PT-SC) e Sâmia Bomfim (PSOL-SP) — e a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), antiga aliada do presidente. Também integram a lista jornalistas, pesquisadores, influenciadores tanto do campo da esquerda quanto da direita, e um youtuber. Procurado para comentar os bloqueios, o Palácio do Planalto não respondeu.

O argumento de que Bolsonaro usa o Twitter como canal do governo levou a deputada Natália Bonavides a entrar com uma ação no STF. Ela defende que a conta do presidente não pode ser considerada de natureza pessoal, já que é usada para divulgar atos de sua gestão. O caso aguarda análise do relator, ministro Alexandre de Moraes e, em novembro, o procurador-geral da República, Augusto Aras, acatou o argumento da defesa de Bolsonaro. Para ele, as publicações do presidente “não têm caráter oficial e não constituem direitos ou obrigações da Administração Pública”.

Pedro Bruzzi, sócio da Arquimedes, chama a atenção para a falta de transparência em relação aos bloqueios feitos por contas de autoridades nas redes sociais. “Seria adequado que os cidadãos ao menos pudessem ter acesso à base de contas bloqueadas por cada perfil verificado”, destacou.

Confira a matéria completa, de Marlen Couto, no site do O GLOBO.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat